domingo, 14 de agosto de 2011

Segundo domingo de agosto...

Dia dos pais é uma data complicada para mim, que há 11 anos não tenho mais o meu pai neste mesmo plano. Impossível não chorar ao lembrar que cresci cercada de livros em uma casa onde educação era prioridade, mesmo sendo ele uma pessoa com pouco estudo. Desde 2000, quando ele se foi (não consigo usar a palavra “morte”) fujo de verdade de livros e filmes que versam sobre relações entre pais e filhos, numa tentativa de manter o coração quieto. Mas hoje, quero relembrar que aprendi a gostar de ler estimulada também por ele - já falei sobre isso neste blog - da mesma forma que escolhi o time para o qual torço até hoje e defini a profissão que iria seguir. O orgulho que ele tinha dos filhos é bem parecido com o que sinto por ele. Parabéns pelo teu dia, pai, onde você estiver.

Um comentário:

naomemandeflores disse...

Também perdi meu pai há alguns anos e esse dia é sempre um pouco triste... Ficam as boas lembranças!


Camila Faria